terça-feira, 30 de outubro de 2012

BRAÇOS FORTES

Acabou se tornando um hábito fazer fotos com o celular ao final do treino, todas as tardes, na academia First.

Parece monótono - mesmo cenário, poses semelhantes -, mas descobri que só assim para perceber a evolução do meu corpo.

Na rotina de treinos e dieta não sinto as mudanças. Porém, ao colocar as fotos lado a lado, com as datas, a comparação é surpreendente.


Claudia Vilaça - 30/outubro/2012


Como já disse, a poucas semanas do meu primeiro campeonato, estou na reta final da preparação.

Aeróbicos em jejum de manhã. Meia hora, 40 minutos no máximo.

Treino de musculação à tarde; depois, mais aeróbicos, nos dias em que não treino pernas.


Claudia Vilaça - 30/outubro/2012


O objetivo agora é secar!

Perder gordura, preservando ao máximo a massa muscular.

O treino de hoje, terça-feira, foi um combinado para membros superiores, com ênfase em ombros, costas, bíceps e tríceps.


Por favor, não repare nas fotos tremidas. Eu ainda estava sob a ação dos últimos exercícios de rosca direta, desenvolvimento militar e umas puxadas e remadas que exigem força mesmo!

Minhas veias saltam, os ombros fibram e as costas ficam "empelotadas", cheias de gomos.

E eu adoro isso! 

Ao fim de um treino como o de hoje a sensação é de absoluto poder.


Claudia Vilaça - 30/outubro/2012


Veja todas as FOTOS no meu álbum do Facebook.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

PANTURRILHAS

Se as coxas e os glúteos eram os meus pontos "atrasados", sempre a exigir maior atenção e difíceis de crescer, as panturrilhas - mais obedientes -acompanhavam os membros superiores em desenvolvimento e volume.

Ombros, costas, braços e panturrilhas fortes e definidos desde muito cedo, com pouco tempo de musculação.


Agora, com o treino voltado para hipertrofia dos músculos das coxas e com os resultados que consegui nos últimos meses (desde agosto/2012), finalmente começo a ter uma perna que parece pertencer à mesma pessoa.

Uma perna inteira!

Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 28/outubro/2012

Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 28/outubro/2012

Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 28/outubro/2012

Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 28/outubro/2012

Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 28/outubro/2012

Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 28/outubro/2012


Exercito as panturrilhas uma ou duas vezes por semana, ao final do treino de pernas.

Na máquina em pé ou sentada, com peso e isometria; e na escada ou step, fazendo movimentos curtos e rápidos, sem peso, para arrematar o trabalho de membros inferiores.

Leia mais no post PERNAS: ANTES E AGORA.

MEUS TREINOS, MINHA DIETA: DETALHES


Recebi este comentário no post COXAS E GLÚTEOS:

"Poxa que coxa!!! kkkk quanta evolução em um período tão curto de tempo!!! to muito impressionada!!
Pela primeira vez to seguindo um dieta sem peso na consciência, parece que o cérebro já desistiu de me mandar comer porcarias durante a semana, com isso conseguiu baixar 6% de bf em um mês!! Fiquei muito feliz, mas sei que ainda falta muita gordura pra queimar.. Mas ando com muita dificuldade de ganhar massa, isso quer dizer, zeroooo de massa apesar dos treinos pesados... Você poderia me dar algumas dicas? exemplo: como é dividido seu treino, o que vc come no pós treino, se toma algum aminoácido durante.. Sei que existe a individualidade, mas quem sabe com estímulos diferentes meu corpo dá um up!!"
Camila Castilho29 de outubro de 2012 10:39 


Claudia Vilaça - 26/outubro/2012

Olá, Camila, bem-vinda ao meu blog!

Aproveitando que recebo muitas mensagens com perguntas semelhantes às suas, responderei neste novo post, ok?

Acredito que o expressivo ganho de peso e de massa muscular que tive em tão pouco tempo foi resultado de uma combinação de dois fatores: 

- os novos estímulos de TREINO em uma intensidade que meu corpo nem sonhava existir (eu vinha fazendo os mesmos treinos há anos, basicamente do mesmo jeito); e

- a DIETA mais calórica, ajustada para hipertrofia.


Com relação ao treinamento, antes de começar esta preparação, sempre treinando sozinha (eu mesma programo minhas séries), fazia tudo com muita atenção e dedicação, 100% concentrada. 

Nos meus 4 anos e meio de musculação - a partir do zero, porque não praticava nenhuma atividade física antes disso - consegui bons resultados nos membros superiores e nas panturrilhas. 

Você pode ver os meus ombros e dorsais bem desenvolvidos em fotos mais antigas.


Claudia Vilaça - Praça Benedito Calixto/SP - Dezembro/2010

Claudia Vilaça - Praça Benedito Calixto/SP - Dezembro/2010

Entretanto, tinha muita dificuldade em obter ganhos nas pernas e nos glúteos. 

Eu treinava pesado, usava as mesmas estratégias e variações que aplicava aos ombros, braços e costas, mas não saía do lugar ou progredia muito pouco e lentamente.

Está certo que consegui um "bumbum-pedra", pequeno, musculoso e firme; as coxas também, rijas,  apesar do pouco volume.


Quando decidi me tornar uma atleta de alta performance, a primeira coisa que estabeleci foi a necessidade de ganhar força e massa muscular nos membros inferiores.

É nesta direção que faço a preparação para a minha primeira competição: foco total nas pernas e nos glúteos.

Durante a semana, meus treinos se dividem assim:
- 2a. feira - ombros, tríceps, peito, abdomem
- 3a. feira - pernas e glúteos
- 4a. feira - aeróbicos
- 5a. feira - costas, bíceps e abdomem
- 6a. feira - pernas e glúteos
- Sábado  - aeróbicos

Os treinos nunca são iguais; sempre dinâmicos, progressivos e desafiadores. Técnicas variadas, como drop-sets e bi ou tri-sets, pirâmides, etc. 


Antes do treino eu tomo óleo de coco

Durante o treino, água. No mínimo, um litro e meio de água mineral.

Não uso whey protein nem nenhum outro suplemento, como caseína, albumina e blends protéicos (no passado, já tomei muitos e muitos scoops de whey VPX, Intrapro Gaspari, ON e shakes de Pro-V60 Labrada, leia o post HIPERTROFIA: O SEGREDO DO SUCESSO).

Não tomo fórmulas pré-treino nem creatina, também não consumo glutamina e BCAA's. A creatina já usei em outras épocas, mas cheguei à conclusão de que não fazia a menor diferença, então suspendi.


Na academia, imediatamente após o treino, novamente o óleo de coco.

Cerca de uma hora depois, faço uma das minhas 5 refeições diárias: proteína (carne, peixe, frango e/ou ovos), gordura e folhas cruas. 

A quantidade de proteínas e de gordura varia de acordo com a fase, se para hipertrofia ou para definição. 


Resumindo, se você percebe que está estagnada, a primeira coisa a fazer é dar uma chacoalhada no seu treinamento: novos estímulos, mudanças na rotina, variar a intensidade e a combinação de exercícios.

Você também pode estabelecer uma meta, assim como eu fiz. Um objetivo com prazo definido, usar o vestido dourado no Réveillon (o super desafio da Dani Tâmega, por exemplo!), projeto-verão, qualquer coisa que ajude a se manter motivada e na direção certa.

Desafio pró-saradas da Dani Tâmega


Idem para a dieta. Compromisso 100%.

Não acredito em seguir uma dieta de 2a. a 6a. feira, com os famosos "dias do lixo" e as escapadas no fim de semana.

Isso é desgastante, na minha opinião. Fica muito mais difícil o seu organismo se adaptar a um tipo de alimentação se você mesma não se decide!


Venha sempre, Camila, e conte para a gente como vai indo com os treinos e a dieta. Sucesso para você!


domingo, 28 de outubro de 2012

COXAS E GLÚTEOS

Fiz essas fotos depois do TREINO pesado de pernas da última sexta-feira (treino em maiúsculas, negrito, sublinhado, e o que mais você puder imaginar para expressar a intensidade da coisa).

Um calorão, até prendi o cabelo, mesmo assim suei muito!

Bebi 1,5 litro de água em 50 minutos de treino, e ainda foi pouco.


Claudia Vilaça - 26/outubro/2012

Claudia Vilaça - 26/outubro/2012


Faltando cinco semanas para o campeonato, desde a última segunda-feira, dia 22, os treinos mudaram.

Técnicas diferentes, novas sequências e combinações de exercícios visando "lapidar" e ressaltar o desenho dos músculos, fazendo-os aparecer.

A dieta está mais restrita e apertada, pouca coisa, a idéia é continuar crescendo com qualidade ao mesmo tempo em que se derrete qualquer gordurinha.

Além do treino de musculação agora direcionado para definição, a gordura que recobre os músculos vai sumindo à medida em que são acrescentados treinos aeróbicos, inclusive em jejum.


Claudia Vilaça - 26/outubro/2012


Minhas coxas nunca tiveram este tamanho! Estão bem mais grossas, rijas e fortes.

Pela primeira vez na vida, sinto roçar e bater uma perna na outra quando ando (tenho de andar de perna aberta, desculpe ;-). 

São os músculos adutores do interior da coxa - em vermelho, na ilustração abaixo.




Como já disse, o principal foco do meu treinamento é o desenvolvimento das coxas e dos glúteos, já que as panturrilhas e a parte superior do corpo estavam bem à frente. 

Tenho feito agachamentos em tudo quanto é posição e variação, cadeiras adutoras e abdutoras, exercícios intensos e variados de flexão e extensão de pernas e quadris.


Claudia Vilaça - 26/outubro/2012


Com este treinamento direcionado para hipertrofia de membros inferiores, os quilos que ganhei desde o início da preparação para competir, visualmente, foram só da cintura para baixo, concentrados em quadril e coxas.

Relembre os posts MASSA LOCALIZADACRESCENDO MAIS E MAIS! e CRESCENDO.

14/setembro/2012  -  Claudia Vilaça  -  16/outubro/2012

14/setembro/2012  -  Claudia Vilaça  -  26/outubro/2012

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

QUARTA-FEIRA DE FRIZZ


Hoje tive um dia cheio, que começou muito cedo a ainda vai longe!

De manhãzinha, avaliação física. 


Como já disse em outro post - veja aqui: MASSA LOCALIZADA -, agora é a fase de "cutting", ou seja, nessas últimas semanas que antecedem a competição o objetivo é perder gordura e preservar ao máximo a massa magra.


Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 20/outubro/2012


Comparando os resultados com os da semana anterior, perdi 800 gramas de gordura e ainda ganhei massa magra - pouco, a uma taxa menor, mas continuo crescendo com a dieta sem carboidratos e, agora, fazendo aeróbicos, cerca de 1 hora por dia.

Tudo bem, tudo ótimo!

As mudanças acontecendo conforme o planejado.


Esta é a minha primeira preparação, não sei como o meu corpo vai reagir, tudo tem de ser feito com atenção para que eu consiga me apresentar na melhor forma e no tempo exato (nem ficar pronta muito antes nem tão depois do campeonato, já pensou que triste? Passada uma semana, você se olha no espelho - trincada, definidaça - e conclui: "Pena que a competição já aconteceu, bem que podia ser hoje...")


Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 20/outubro/2012


Almocei, saboreando a carne vermelha bem devagar. 

Logo ela vai sair do meu cardápio, então aproveitei!


Depois da refeição, fui conversar com o cabeleireiro.

Parece bobagem, mas este item - o meu cabelo - tem sido motivo de inquietação.


No salão bacana dos Jardins, o profissional me atendeu pontualmente às 13 horas.

Antes eu enviei umas fotos por e-mail, para que ele avaliasse textura, cor, comprimento.


Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 20/outubro/2012

Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 20/outubro/2012

Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 20/outubro/2012


Assim, antes do nosso encontro, o cabeleireiro já pôde pensar em algumas possibilidades, mas a sua primeira idéia foi certeira!

Isso mesmo, lindo, concordei na hora.

Rapidamente, ele puxou aqui e ali, ajeitou os fios, modelou as ondas, e voilà, decidimos o penteado que usarei na minha estréia no palco.


Vou confessar uma fraqueza: eu tenho medo de cabeleireiro.

Também tenho medo de médicos, de advogados (de precisar deles, entende?), de encanadores... 

Ah, o mundo é cheio de perigos.

Mas eu estou numa fase de força e coragem! 

Entrei e saí do salão ilesa e feliz, com todos os meus muitos centímetros na cabeça, rebeldes, voando livres, adoro uma ventania ;-)


Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 20/outubro/2012


Voltei para o escritório, trabalhei, escrevi, respondi e-mails, mandei um beijo de aniversário para a minha filhinha que mora na Nova Zelândia.

Dezessete anos!

O aniversário dela é amanhã, dia 25 de outubro, mas a minha boneca vive no futuro, são 15 horas de diferença; portanto, a comemoração é em dobro, dois dias inteiros de festividades.


Minha filha Laura e seu lindo cabelo cacheado.
Ela é aventureira, gosta de viajar! Na foto, em Londres - Julho/2010

E aqui a Laurinha em New York, arrasando na Broadway, em Abril/2012


Troquei de roupa e fui para a academia, ainda com o cabelo meio montado, do jeito que o cabeleireiro deixou. Fiz isso para me acostumar com a idéia, acabei esquecendo que estava diferente, o que significa que vai funcionar.


Claudia Vilaça - Sala São Paulo - 20/outubro/2012


Vou trabalhar um pouco mais e depois tomar um banho daqueles bem demorados.

Quente, banho quente, eu gosto assim.

Sei que não deveria...

Também dizem que não se deve dormir de cabelo molhado, mas eu durmo, e ponto. 

De manhã é sempre uma surpresa, nunca sei para que lado as ondas e os fios vão se voltar, que aspecto terão. Então viro tudo para baixo e balanço a cabeça ainda úmida, desarrumando mais ainda.

Minha filha de 17 anos que não me ouça - ela que tem lindos cachos, fininhos e armados num tom maravilhoso de castanho claro e sofre para domar o cabelo -, mas eu simplesmente adoro frizz.

Dá para notar, não é?


Claudia Vilaça - Praça Benedito Calixto/São Paulo


Frizz no cabelo é muito bom! 


Claudia Vilaça - Praça Benedito Calixto/São Paulo

terça-feira, 23 de outubro de 2012

HIPERTROFIA: O SEGREDO DO SUCESSO


Meses atrás, quando falei a uma amiga sobre a decisão de treinar como gente grande e me preparar para competir, a primeira coisa que ouvi foi: 

"E você vai TOMAR ALGUMA COISA?"

Sorrindo, respondi que iria, sim, TOMAR CORAGEM! 

Aos 50 anos, desfilar de biquíni e salto alto no meio das menininhas saradas exige coragem, concorda?

Minha amiga insistiu: "Eu quero é saber se você vai TOMAR ALGUMA COISA PARA CRESCER."
___

Quero esclarecer aqui o seguinte: não tomo nem nunca tomei nenhum tipo de "aditivo", hormônio, anabolizante ou qualquer outra substância diferente de alimento que, direta ou indiretamente, influencie em ganho de massa magra e perda de gordura.


Tenho 52 anos e tomei pílula anticoncepcional apenas até os 25. A pílula me causava displasia mamária e se somava a um problema antigo de ovários policísticos. Resultado, abandonei a pílula e desde então uso métodos de barreira, com preservativo em 100% das vezes, sempre, sempre, sempre! 

Não me dou bem com hormônios. Nas ocasiões em que o ginecologista receitou, detestei sentir dor de cabeça, retenção de líquidos, inchaço... Enfim, a ingestão de medicamentos à base de hormônios provoca em mim uma TPM básica, coisa que nunca tive na minha fogosa vida sem pílula anticoncepcional. 

Reluto, mesmo, em sequer pensar em reposição hormonal. Menstruo normalmente e em ciclos regulares, não sinto calores nem outros sintomas típicos desta idade e etapa, vou levando os meus cinquentinha feliz e faceira hahaha.

Quando parar, parou. Sem drama. 

No dia em que a senhora Menopausa chegar, tomaremos um chazinho e teremos uma conversa amistosa - um papo entre mulheres maduras, ou seja, em nossa melhor fase! -, estou certa de que a gente vai se entender numa boa.


Claudia Vilaça - 16/outubro/2012



E eu respondo.

1) Primeiro que o notável ganho de peso (gordura + músculos + água) e o PROVÁVEL aumento de massa (não fiz avaliação física) não aconteceram de uma hora para a outra, mas sim em questão de meses, quando mudei meu jeito de treinar e iniciei a preparação para competir. 

Ocorre que no primeiro mês os efeitos do treinamento intensivo, da dieta reforçada e das novas estratégias não eram visíveis; de repente, começaram a aparecer com força total devido ao meu baixíssimo percentual de gordura (nunca estive tão magra como na época da foto do "antes") e à necessidade do organismo de se adaptar aos estímulos. 

Obviamente que a evolução foi gradual.


2) Desde 2008 eu vivo em DIETA. Passei cada dia desses seis anos sem açúcar de nenhum tipo (sacarose, frutose, lactose) nem carboidratos de alto índice glicêmico.  

Zero açúcar, zero maltodextrina, zero dextrose, zero farinha branca, zero refrigerante, zero cerveja, zero vinho, zero champanhe, zero caipirinha, zero sucos, zero energéticos, zero mel, zero frutas frescas ou secas, zero laticínios. 

Líquidos, apenas ÁGUA.

Mais de 2000 dias!!!


Sem lanches, sem salgadinhos, sem biscoitos, sem barrinhas de cereal, sem sucrilhos, sem granola, sem pizza, sem pastel de feira, sem parmegiana, sem milanesa, sem coxinha, sem croquete, sem esfiha, sem batatinha, sem macarronada, sem lazanha, sem pão de queijo, sem doces, sem salsicha e frios em geral, sem embutidos, sem defumados, sem chocolate, sem sorvete, sem ovo de Páscoa, sem bolo de aniversário, sem bem-casados, sem confeitos, sem panetone, sem macarons coloridinhos, sem leite, sem iogurte, sem queijos, sem frituras, sem molhos, sem catchup, sem chantilly, sem caldas, sem cremes.


No começo de 2012 descobri uma intolerância ao glúten

Em algumas pessoas, o glúten age como uma cola, uma placa grudenta que adere à parede do intestino e causa uma série de problemas. 

Então, a minha alimentação - que já era bem restrita - ficou sem trigo, sem aveia, sem centeio, sem cevada. 

Você faz idéia de o quanto esses ingredientes são onipresentes nas prateleiras do supermercado e na rotina de qualquer ser humano moderno? 

Ou seja, nada mais daquele pão integral alemão massudo e esquisitão que eu adorava, o Wickbold Fitness, de trigo e centeio. Não mais aveia em flocos grossos, etc, etc.

De carboidrato, fiquei restrita ao inhame cozido no vapor, já que a batata-doce não me cai bem. Não gosto de arroz.


Nesta época, também parei de tomar whey protein, caseína, albumina em pó e outros suplementos protéicos

(Eu consumia muitos suplementos, várias doses por dia, diluídas em água. Agora, pensando a respeito, acho que a minha alimentação era 80% shakes de proteína e 20% comida de verdade.)


Zerei. Peguei um bode de tudo, queria me livrar da sensação de estar gerando um monstro nos intestinos! 

Eu parei com os suplementos e observava os efeitos, via se melhorava, se mudava alguma coisa.


Claudia Vilaça em Los Angeles/EUA - 12/abril/2012

Durante uma viagem, as primeiras semanas totalmente sem carboidratos.
Emagreci muito, mas me sentia cheia de energia e disposição!


Em abril/2012, durante uma viagem aos EUA, sem ter como preparar meu inhame cozido no vapor (hotel, restaurante, avião), passei 3 semanas sem carboidratos. Comia atum em lata, grelhados - steaks, salmão e outros peixes, frango - e salada. 

Ah, e tomava óleo de coco às colheradas, comprei baratinho em uma daquelas lojas americanas de suplementos para atletas. 

Emagreci - perdi muita gordura -, mas me sentia incrivelmente bem!


Desde então, há quase TRÊS ANOS, portanto, vivo SEM CARBOIDRATOS. 

A dieta é à base de PROTEÍNAS (carnes, peixes, frango, ovos) e GORDURAS (óleo de coco e azeite de oliva, gema de ovo, salmão e peixes gordos, carnes e aves). Tudo ORGÂNICO.

Além de FOLHAS, muitas folhas, folhas verdes e cruas de todos os tipos.

De SUPLEMENTOS, NADA! Nem mesmo whey protein. Também nada de vitaminas nem de minerais sintéticos.

Não uso shakes, vou para a academia levando uma sacolinha com meu vidro de ÓLEO DE COCO VIRGEM ORGÂNICO, que tomo ANTES e DEPOIS do treino.


3) Outro fator fundamental para a hipertrofia que consegui nos últimos meses é a mudança de estratégia no TREINAMENTO: os novos estímulos de altíssima intensidade. 

Um esquema minucioso, visando ganho de força e de massa nas pernas e nos glúteos, que eram minhas deficiências até então.


Como dizia no começo deste post, não tomo nem jamais tomei substâncias aceleradoras de resultados. 

O segredo? A receita do sucesso? A fórmula mágica?

Lamento, fico devendo a resposta. Não sei mesmo, mas estou procurando! 

E enquanto procuro, vou estudando muito, descartando o que não funciona e incorporando o que dá certo.


Agora, sobre isso eu posso falar: o que deu certo para mim, minhas experiências, minhas dúvidas, minhas descobertas. 

Se você se interessar, venha sempre aqui conversar comigo e trocar idéias.

---



[Algumas informações e datas deste post foram ATUALIZADAS em 07/março/2015]


sexta-feira, 19 de outubro de 2012

MASSA LOCALIZADA


Hoje, ao fim do treino - o segundo treino de pernas da semana -, subi na balança.

Cobri o visor com as mãos e chutei um número.

Errei por quase três quilos, achava que estava pesando bem menos...


 14/setembro/2012   <<   Claudia Vilaça   >>   16/outubro/2012


Entre as fotos acima, foram 32 dias e mais de 6 kg de diferença!


Esta é uma nova experiência na minha preparação para competir: ganhar uma APARENTE "massa localizada".

Digo aparente, porque não sei o que é massa muscular, gordura ou água, principalmente imediatamente depois de um treino intenso de membros inferiores.


Gordura localizada, ok, todo mundo conhece e teme a danada ;-)

Agora, massa localizada é novidade. Sucesso absoluto da estratégia adotada, mesmo que se trate mais de gordura ou inchaço que de músculo mesmo - não há como saber ao certo, pois não fiz avaliação física. 

O que importa para mim é o visual.


Sei apenas que os 6 kg que ganhei foram da cintura para baixo, concentrados em quadril e coxas. Em cima, continuo fininha.

As borboletas da parte inferior da minha tatuagem agora têm muito mais espaço para voar!


Claudia Vilaça


Como dizia no início deste post, eu me pesei hoje. E guardei bem o número, pois pretendo que este seja o meu maior peso desta preparação.


A partir de agora, muda tudo.

Treinos mudam, dieta muda, objetivos mudam.

Começa a fase pre-contest: algumas semanas antes do campeonato, em que se busca perda de gordura e definição, preservando ao máximo a massa magra.


Exciting!

Estou curiosa para ver o que vai acontecer com o meu corpo e essas novas curvas, observar os contornos que terei ao fim da preparação.

Amanhã, sábado, mais um ensaio de poses. Depois, à tarde, vou ao concerto na Sala São Paulo; no programa, Beethoven, Bartók e a delirante Sinfonia Fantástica, de Berlioz. 

Ainda com pouquíssimas roupas possíveis - que acomodem minha, digamos, atual exuberância hahaha -, acho que terei de repetir o figurino. Ou o vestido branco e preto da semana passada (nas fotos abaixo, ainda com 1 kg a menos que hoje) ou o verdinho ou o estampado. 

Talvez daqui a alguns dias eu entre de novo no vestido roxo drapeado, lindo, lindo, usei uma vez só, fez o maior sucesso.

Vou contando os detalhes desta nova fase, acompanhe-me na aventura!


Claudia Vilaça - 13/outubro/2012

Claudia Vilaça - 13/outubro/2012


[Algumas informações e datas deste post foram ATUALIZADAS em 06/novembro/2013]


terça-feira, 16 de outubro de 2012

CRESCENDO MAIS E MAIS!


Ainda crescendo.

Em minha preparação para o campeonato que acontecerá em 24/novembro/2012, permanece o foco em treinos de força e hipertrofia.

Dias atrás, descrevi aqui, toda animada, a evolução e as mudanças que aconteceram no meu corpo desde o início da preparação para competir, em 13/agosto/2012.

(Relembre o post CRESCENDO! e veja as fotos)


Hoje fiz novas fotos antes e imediatamente depois de um dos treinos de pernas mais intensos da minha vida.

Observando as imagens, agora meio de lado, o que se nota é isso:


Claudia Vilaça - 16/outubro/2012
DEPOIS do treino de pernas

Claudia Vilaça - 16/outubro/2012
DEPOIS do treino de pernas

Claudia Vilaça - 16/outubro/2012
ANTES do treino de pernas


Para comparar, as fotos anteriores são essas:

Claudia Vilaça - 04/outubro/2012

Claudia Vilaça - 04/outubro/2012


Claudia Vilaça - 02/outubro/2012

Claudia Vilaça - 02/outubro/2012


Claudia Vilaça - 27/setembro/2012


Claudia Vilaça - 14/setembro/2012

Claudia Vilaça - 14/setembro/2012


Resumindo: nas fotos abaixo, a diferença em 1 mês de treino e dieta.

(Essas duas últimas fotos - clique nelas para ampliar - me surpreenderam, não imaginava que a mudança fosse tão gritante!)

Claudia Vilaça - 16/outubro/2012

Claudia Vilaça - 14/setembro/2012