quarta-feira, 8 de julho de 2015

DUBAI 2015 - BRONZE PARA O BRASIL NO CAMPEONATO MUNDIAL DE FISICULTURISMO NATURAL - INBA WORLD CHAMPIONSHIP OF NATURAL BODYBUILDING & FITNESS 2015


No mês de junho estive em Dubai, nos Emirados Árabe Unidos, representando o Brasil em grande evento esportivo internacional e disputando o INBA World Championship of Natural Bodybuilding & Fitness 2015, em que conquistei a medalha de bronze.


Claudia Vilaça - 53 anos - BRASIL  
Campeonato mundial de fisiculturismo natural 2015
World Championship of Natural Bodybuilding
Terceiro Lugar

Dubai, Emirados Árabes Unidos
13/junho/2015

INBA Natural Bodybuilding


Estou acostumada a viajar para participar de campeonatos internacionais de fitness, já foram seis vezes em menos de dois anos: cinco delas nos Estados Unidos, e agora esta última, no Oriente Médio.

Antes da viagem, planejo tudo de modo a simplificar minha vida ao máximo e a me virar sozinha - preparo as refeições a serem consumidas durante o vôo e nos primeiros dias na cidade estrangeira, pesquiso lojas e supermercados próximos ao hotel, vejo se o apartamento tem cozinha, levo exfoliante e cremes orgânicos Ikove Organics, providencio roupa de cama e toalhas para não fazer sujeira com a tinta bronzeadora, tomadas e adaptadores, luvas descartáveis, esponja de louça e detergente, também sacos de plástico, rolo de papel-toalha e até jornal para forrar o chão do banheiro e do quarto ao aplicar a pintura corporal (coisa que o meu marido desaprova, acha que é carregar peso à toa, então a primeira missão dele é sair em busca de jornais, além de comprar água mineral de baixo teor de sódio e, se possível, alcalina).

Importante separar o que for usar no campeonato e colocar na bagagem de mão. Biquínis (um de reserva), sandálias, roupão, maquiagem, cosméticos que não sejam líquidos, baby liss bi-volt, bandas elásticas para aquecimento e a bandeira do Brasil vão comigo, em cima. Assim, se acontecer algum problema com as malas, os itens do dia D estão garantidos! 


A viagem para o campeonato mundial em Dubai começa em casa: preparando as refeições que consumirei durante o vôo. Frango KORIN e vegetais orgânicos 


O longo vôo de São Paulo a Dubai: 16 horas na classe econômica, mais a escala em Addis Ababa, na Etiópia


Durante as 16 horas de vôo e o tempo da escala, consumo refeições preparadas por mim e trazidas de casa. Nada de sal nem temperos. A poucos dias do campeonato mundial, e já contando com os inevitáveis efeitos negativos sobre a forma física, tento conter o prejuízo me alimentando bem. No cardápio paleo low-carb high-fat,  frango KORIN e vegetais orgânicos, preparados com óleo de coco virgem orgânico DR. ORGÂNICO


Quando viajo para os EUA é bem tranquilo. Em qualquer cidade americana existe uma loja do Whole Foods (supermercado de orgânicos), onde se encontra água alcalina de baixo sódio, óleo de coco virgem orgânico, vegetais orgânicos prontos para o consumo, frango e peixe preparados no próprio dia, assados sem sal nem outros temperos. Pratos e talheres descartáveis. Tudo muito prático e barato.

Mas como eu não sabia o que me esperava em Dubai, fui prevenida e levei meu estoque de óleo de coco virgem orgânico Dr. Orgânico, parte essencial da minha dieta natural de baixo carboidrato. Os vidros gelados (o óleo fica sólido) e bem embalados eu pus na mala, entre os lençóis e as toalhas, sem problemas.

Na bagagem de mão, além dos potes com as refeições que faria durante o vôo, veio uma boa quantidade de frango Korin assado e congelado. Ao chegar no hotel, bastou terminar de descongelar o frango, acrescentar vegetais e preparar as primeiras refeições em Dubai sem ter de me preocupar com compras e comida logo de cara. 

A longa viagem entre São Paulo e Dubai - 16 horas na classe econômica do 787 novinho da Ethiopian Airlines mais o tempo da escala em Addis Ababa, na Etiópia - e o fuso horário de 7 horas causam um jet lag respeitável, além dos inevitáveis inchaços nas pernas, nos pés, no rosto, na barriga...


Ao chegar no hotel em Dubai, a primeira providência: comprar água mineral com baixo teor de sódio. Isso porque campeonato de fitness não combina com retenção de líquidos, e ATLETA NATURAL NÃO TOMA DIURÉTICOS.


Frango KORIN semipronto e óleo de coco virgem orgânico DR. ORGÂNICO trazidos do Brasil para as minhas primeiras refeições no hotel em Dubai, em junho/2015


Frango KORIN semipronto e óleo de coco virgem orgânico DR. ORGÂNICO trazidos do Brasil para as minhas primeiras refeições no hotel em Dubai, em junho/2015


Óleo de coco virgem orgânico DR. ORGÂNICO trazido do Brasil para as refeições e como pré-treino nos dias que passei em Dubai, em junho/2015


Exfoliante e manteiga corporal Ikove Organics trazidos do Brasil para o preparo da pele antes da aplicação da tinta bronzeadora usada nas competições de fitness. Dubai, junho/2015


Depois de um banho e de algumas horas de sono, ainda com aquela sensação de não saber direito onde a gente está, fui dar uma volta e conhecer as piscinas e a academia do hotel, pequena mas bem equipada.

Alonguei-me e treinei no fitness center quase vazio, mas ainda levaria um bom tempo para desinchar e recuperar o corpo cansado da viagem.


Fitness center do hotel em Dubai, junho/2015


Claudia Vilaça - 53 anos
Dubai, junho/2015

Atleta FIGURE
Fisiculturismo Natural - BRASIL
INBA Natural Bodybuilding - BRAZIL


Claudia Vilaça - 53 anos
Dubai, junho/2015

Atleta FIGURE
Fisiculturismo Natural - BRASIL
INBA Natural Bodybuilding - BRAZIL


Claudia Vilaça - 53 anos
Dubai, junho/2015

Atleta FIGURE
Fisiculturismo Natural - BRASIL
INBA Natural Bodybuilding - BRAZIL


Pela janela da academia, eu via uma parte de uma área de lazer infantil e cenas como essas aqui abaixo: a mulher de preto, coberta da cabeça aos pés, acompanhando as crianças na piscininha.

Onze horas da manhã em Dubai. Temperatura próxima dos 50 graus.


Dubai, junho/2015


Dubai, junho/2015


Dubai, junho/2015


Dubai, junho/2015. Ao fundo, destacando-se no horizonte vê-se o famoso hotel Burj Al Arab, cuja estrutura lembra o formato de uma vela de barco. Um dos símbolos de Dubai, o edifício foi construído sobre uma ilha artificial, que se comunica com a ilha principal por uma ponte particular. 


Temperaturas em Dubai e região. As áreas mais escuras registram 50 graus C de máxima neste dia de junho de 2015.


[CONTINUA]


Leia logo mais:

* as compras de alimentos frescos e crus no supermercado de orgânicos próximo ao hotel em que fiquei em Dubai e o preparo das minhas refeições no apartamento com cozinha completa

* as inscrições e o antidoping na véspera do campeonato mundial de fisiculturismo natural 2015, em Dubai. O atraso e as 6 horas de espera em um salão lotado, entre delegações do mundo todo

* a noite em claro lavando o cabelo e aplicando tinta bronzeadora e o meu dia D, que começou oficialmente às 3 da madrugada

* o local do campeonato: a Dubai Sports City e seu estádio de futebol indoor, coberto e climatizado

* o backstage e as atletas Figure Master

* o calor, o calor, o calor, o calor

* a medalha de bronze em Dubai e o shape super magro das vencedoras

* as mulheres de burca

* os marinheiros com pinta de piratas cruéis que me assustaram quando fui sozinha procurar um banheiro feminino em uma área do antigo porto onde não se via nem uma única mulher VIVA hahaha

* a cidade espetacular, os passeios, a arquitetura, o metrô futurista com áreas exclusivas para mulheres e crianças, os táxis e os motoristas indianos, os shoppings impressionantes, o aquário e o zôo marinho - ADOREI !!! -, o edifício mais alto do mundo, as ilhas artificiais, os hotéis sensacionais, os palácios dos poderosos, as preces em memória do maior gênio de todos os tempos: o inventor do ar-condicionado, o preço do frango mais caro que já comi na vida e outros assuntos sobre os meus dias nas Arábias.


Também, a seguir:

* o acidente que sofri no começo do ano e a lesão na coluna

* a recomendação médica de parar definitivamente com a musculação

* as adaptações e as mudanças que me permitiram retomar a rotina de treinamento SEM TRATAMENTOS, SEM REMÉDIOS e SEM CIRURGIA

* as experiências e as descobertas decorrentes da lesão; os exercícios que aliviam a dor nas costas e as ações que pioram e me deixam vários dias travada e sem poder treinar; coisas pesadas que faço com a maior tranquilidade e outras que procuro evitar ao máximo (passar muito tempo sentada, por exemplo, pior ainda se for em poltronas fundas e macias, nossa, isso acaba comigo ;-)

* as soluções que encontrei para manter a INTENSIDADE e o ALTO RENDIMENTO dos treinoscargas, volume e frequência: tudo novo

* o cuidado obsessivo com a postura, a boa forma e a execução dos movimentos

* o método de treinamento e a evolução física após a lesão: resultados em termos de hipertrofia e densidade.


13 comentários:

  1. Claudia, parabéns pelo resultado. Seu estilo de vida é fonte de inspiração. Com todo respeito, você é maravilhosa! Alex triatleta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Alex! Adoro quando você vem me visitar!

      Excluir
  2. Você está de parabéns pelo resultado excelente, você é a minha inspiração.
    Sucesso.
    Maria

    ResponderExcluir
  3. Olá Claudia. Você nunca consume sal ou é apenas antes da competicão que vc os restringe? :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me acostumei a não usar sal, Ligiane. Não uso nunca, não acrescento sal aos alimentos, apenas temperos como ervas secas e frescas.

      Excluir
  4. Olá, Claudia, encontrei seu blog procurando por meios naturais para conseguir bons resultados para os meus treinos. Emagreci 32 kg durante o ano passado, sem tomar nenhum remédio, apenas com alimentação regrada e muito exercício físico. Parei de comer alimentos refinados, sal em excesso, dando preferência à temperos frescos, eliminei frituras e doces da minha dieta. No momento estou focada em reduzir o percentual de gordura corporal e depois disso começar uma nova etapa focada em treinos para hipertrofia muscular.
    Fiquei muito feliz ao ler seus posts porque em qualquer lugar que eu vá, ouço que devo suplementar, que devo usar produtos que acelerem os resultados e apesar de não gostar de entrar nessas discussões, não tenho o menor interesse em usar esses produtos.
    Acredito que venho obtendo ótimos resultados e fico mais feliz ainda em saber que eu posso chegar ao meu objetivo sem ter que recorrer à produtos artificiais.
    Quero te parabenizar e agradecer por dividir suas experiências neste espaço.
    Já sou sua fã!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Mila, e me desculpe pela demora em responder, por favor.

      Você é a prova de que a fórmula que realmente funciona é dieta, exercício, disciplina e dedicação. Sabe que na época em que comecei a treinar - e tendo uma alimentação muito pobre e à base de alimentos industrializados -, fui a um nutricionista que me indicou uma quantidade industrial de suplementos e pílulas de tudo quanto é tipo: vitaminas, minerais, coenzimas e fórmulas manipuladas de arginina e um monte de outras coisas. Eram aquelas cápsulas e pós o dia inteiro, ao acordar, antes, durante e após as refeições (feitas de suplementos e shakes também), antes, durante e após o treino, antes de dormir...

      O legal é que só comecei a ter resultados mesmo quando larguei tudo isso e passei a comer comida de gente!

      Boa sorte, querida, e obrigada pela visita :-)

      Excluir
  5. Olá Cláudia, exemplo parabéns! Bjsss

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Estou chegando agora no blog, então me perdoe caso o que eu pergunte já esteja escrito XD hehe
    Tenho 18 anos e sigo o bodybuilding lifestyle a 2. Recentemente conheci as dietas Low Carb High Fat e gostaria de saber se elas são realmente eficientes para o fisiculturismo, no que tange ao ganho de massa, perda de gordura e aumento da performance nos treinos.
    Também queria saber como deve ser o balanço de nutrientes da dieta. Em quais momentos, quanto, e quais carboidratos encaixar
    Desde já, agradeço a atenção. Espero que me responda, pois essas dúvidas me corroem há tempos ahhaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As dietas low-carb high-fat são muito eficientes para o fisiculturismo, João Pedro. Basicamente, o seu corpo usa a gordura como fonte de energia, em vez dos carboidratos. E uma vez adaptado, nosso organismo passa a contar com uma quantidade de combustível muito maior do que a disponível para quem tira sua energia dos carbos, já que há a gordura da dieta e todo aquele estoque de gordura corporal a ser queimado.

      Para ganho de massa é importante observar a quantidade de proteína; afinal, as proteínas são a matéria-prima dos novos músculos! Para perder gordura (ou "secar"), a quantidade de gordura vs a de proteína é maior, mas para hipertrofia é diferente, ok?

      Quanto ao momento de consumo dos carboidratos, isso vai depender se você faz low-carb restrito ou se adota uma dieta cíclica, onde entram dias/momentos de carboidrato alto, como recarga. Eu não faço essas recargas, mantenho os carboidratos muito baixos o tempo todo, mas você pode testar consumir os seus carboidratos antes e depois do treino ou fazer um ou dois dias de carboidratos altos, seguidos de vários dias low-carb.

      Excluir
  7. Oi Claudia !
    Você é maravilhosa, sou sua fã.
    Você poderia me dizer quanto de gordura e proteina você consome, para eu ter uma ideia, por favor me ajuda.
    Tenho comprado dr. orgânico no site que vc indica e tomo umas 06 colheres de sopa de gordura(óleo,manteiga e azeite), e o suficiente???
    Bj, que Deus te proteja , para que possamos sempre contar com você como nossa fonte inspiradora

    ResponderExcluir

Obrigada pela participação! Em breve, seu comentário será publicado e respondido por mim neste post. Mesmo que demore um pouquinho, eu respondo a todos os comentários. Volte mais tarde para conferir a resposta e continuar a nossa conversa, ok?

IMPORTANTE: Não sou nutricionista nem profissional de Educação Física. Não prescrevo dietas nem treinos. Não presto consultorias por meio deste blog, de redes sociais nem de mensagens privadas. Os registros deste blog resultam da minha experiência pessoal e do aprendizado por conta própria.

Para prescrição de dietas, cálculos de calorias e de nutrientes de acordo com as suas necessidades e metas, alimentação aplicável em casos de doenças, intolerâncias e alergias, procure um nutricionista ou médico especializado. Idem para treinos e condições específicas, que devem ser orientados por um profissional de Educação Física.