terça-feira, 27 de agosto de 2013

EXPULSÃO DA ACADEMIA, A INDÚSTRIA DE SUPLEMENTOS E AS DROGAS NO FISICULTURISMO BRASILEIRO + NOVOS DESAFIOS NO FISICULTURISMO NATURAL


Gostaria de agradecer as inúmeras manifestações de apoio no blog (*) e no Facebook, além das mensagens que recebi a respeito da minha recente expulsão da academia de ginástica, em São Paulo.

Esclareço que ter sido expulsa da academia foi apenas o último ato de uma perseguição que durou mais de cinco meses.

Em todo esse tempo, lutei para que a tensão constante, a patrulha, o constrangimento e a humilhação que sofri não atrapalhassem meus treinos intensos e a sempre árdua preparação para os campeonatos de fisiculturismo, ainda mais no meu caso, que não uso nenhuma suplementação nem drogas ou "recursos ergogênicos" .


Quero dizer que me sinto aliviada por não ter mais de suportar o assédio e a interrupção das sessões de musculação por conta deste assunto, e informar:

1) Desde o dia seguinte à expulsão, ou seja, a sexta-feira 23/agosto, estou treinando sozinha em outra academia de ginástica, com foco total na preparação para os campeonatos internacionais de Fisiculturismo Natural, nos EUA, nos próximos meses (de setembro a novembro/2013).


2) Posts no Facebook e no Twitter da academia que me expulsou tentam ridicularizar a minha atitude de indignação e denúncia e procuram convencer o público de que se trata de uma academia para "atletas e alunos que gostam de treinar musculação de verdade". 

Um post do Facebook foi alvo de diversos comentários negativos e críticas à academia e, rapidamente, deletado pelo administrador da página.

No Twitter, um texto mal escrito insinua que eu não aguento treinar pesado. 

O curioso é que o motivo alegado para as repreensões pelo gerente é justamente o fato de eu treinar no limite, até a exaustão e além dela, em vez de me dedicar a uma prática, digamos, mais suave, do tipo que se faz sem "esforço exagerado" e sem derramar uma gota de suor.


3) Também não mais faço parte nem mantenho nenhuma ligação com a IFBB internacional, a IFBB-Brasil e a IFBB-São Paulo. 

Após ter competido pelo estado de São Paulo em cinco campeonatos da IFBB-Brasil, desliguei-me desta federação e me tornei membro da INBA - INTERNATIONAL NATURAL BODYBUILDING ASSOCIATION, com sede nos EUA (o Brasil não tem representação em ligas de Fisiculturismo Natural = SEM DROGAS).

Aliás, seria uma honra conhecer outros atletas fisiculturistas brasileiros 100% limpos de drogas há, pelo menos, cinco anos

Por DROGAS, entenda-se também estimulantes (comuns nos suplementos pré-treino e termogênicos), diuréticos e tudo o que constar da lista de substâncias proibidas pela agência mundial anti-doping WADA e pelo IOC - Comitê Olímpico Internacional.



Detalhe interessante é que, exceção feita às poucas federações de Natural Bodybuilding existentes no mundo, os atletas FISICULTURISTAS NÃO SÃO TESTADOS, não fazem exame anti-doping, como acontece em qualquer outro esporte. 

Pelo contrário, NO FISICULTURISMO o USO DE DROGAS é SINÔNIMO de ATLETA DE ALTO DESEMPENHO E/OU DE COMPETIÇÃO e determina o padrão das categorias nos campeonatos de fisiculturismo e fitness. 

Quem não usa drogas simplesmente não se enquadra no padrão, além de ser desprezado pelos árbitros, pelos dirigentes das federações, pelos patrocinadores (entenda o motivo, logo abaixo) e pelo público em geral, este acostumado ao visual "bombado" ou "hormonizado", como dizem os entendidos no assunto.


OBS.: O uso de DROGAS no fisiculturismo brasileiro aumenta a cada dia de modo assustador, seja por atletas amadores e profissionais de TODAS as categorias, seja por praticantes de musculação sem maiores pretensões que não as de "crescer", "ficar gigante ou gostosa" (conforme o sexo), "ter pernas e bumbum de Panicat", "secar" e "definir o abdomen para o verão".

Onde se consegue tudo isso? Na academia, é claro! E não exatamente treinando musculação de verdade, mas sim servindo-se do arsenal de "aditivos e aceleradores de resultado" à disposição.

Ainda mais quando se frequenta uma academia com forte e conhecida ligação com um laboratório de manipulação "especializado em nutrição esportiva".

O laboratório em questão também patrocina atletas, treinadores, árbitros, dirigentes e campeonatos de fisiculturismo da IFBB, em estreito relacionamento com a academia de ginástica de São Paulo da qual fui expulsa.


Além disso, o sucesso das estratégias de marketing da indústria de SUPLEMENTOS depende das academias. 

Os atletas e treinadores afirmam que sem suplementos (da marca que lhes patrocina ou apóia, obviamente) é impossível obter qualquer resultado na musculação; professores da sala, vestindo a camiseta com os logotipos da academia E do fabricante de suplementos patrocinador, passam as séries de treinos e orientam a dieta dos novos alunos, indicando os "indispensáveis" suplementos. 

Quem desobedece ou não se enquadra na dieta-padrão, que inclui muito açúcar de maltodextrina e dextrose, potes e mais potes de whey, caseína e incrível quantidade de pós, cápsulas e pílulas é considerado má influência. 

As revistas especializadas têm nos anúncios de suplementos 100% de seu espaço publicitário. 


OS CAMPEONATOS DE FISICULTURISMO E FITNESS SÃO MOVIDOS A SUPLEMENTOS: organização, patrocínios de atletas e de academias, viagens, prêmios, feiras de nutrição e eventos paralelos, material de propaganda, remuneração de árbitros, de dirigentes e de associações esportivas. 

A indústria de suplementos alimenta e mantém a máquina de sonhos, aquela que apresenta corpos magníficos (em 99,99% das vezes, físicos fantásticos obtidos com o uso de drogas) como divulgação das infinitas possibilidades alcançadas com o consumo de seus produtos.


O marketing dos suplementos funciona esplendidamente! As pessoas acreditam mesmo que vão atingir o nível de desenvolvimento muscular daquele atleta campeão patrocinado pela empresa de suplementos se fizerem como ele, no filme exibido no início e nos intervalos dos campeonatos e nas feiras de fisiculturismo da IFBB, deliciando-se com pó para panqueca de whey, mistura para mousse ou bolinho protéico sabor chocolate e sobremesas diversas.

Quantas barrinhas de cereais recheadas com crispies nutritivos ou medidas de whey com gosto de paçoquinha você acha que são necessárias para nutrir um gigante como o atleta da foto?

Veja o tamanho dele, o homem é imenso!

Drogas, hormônios, anabolizantes e recursos químicos de tudo quanto é tipo? Não, claro que não - dizem os fabricantes de suplementos. 

E você acaba se convencendo de que o atleta ficou assim por causa da suplementação com shake de proteína, BCAA, glutamina, creatina e pozinhos doces que parecem comidinha de criança. 

Você consome os produtos, adota o discurso-clichê e faz girar a engrenagem academias - fabricantes de suplementos + drogas - mídia - corpos perfeitos.




Toney Freeman


A foto abaixo foi tirada meses atrás quando da visita do lendário Toney Freeman à academia da qual fui expulsa, em São Paulo.

Na ocasião, o atleta americano veio ao Brasil não para treinar e fazer social na academia, é claro, mas para a produção de peças publicitárias (entre as quais o filme do pó de panquecas que mencionei) para o seu patrocinador brasileiro, uma importante indústria de suplementos.


Toney Freeman e Claudia Vilaça
Academia First/SP - 18/dezembro/2012


Por que você acha que estou falando tudo isso: drogas, suplementos, consultores/diretores/sócios/proprietários de laboratórios de manipulação E de academias de ginástica E dirigentes da federação de fisiculturismo e fitness (AO MESMO TEMPO), patrocínios, publicidade, interesses interligados, rede de influências e muito, muito dinheiro?

O que tais assuntos têm a ver com o meu esporte, com a perseguição de que fui vítima na sala de musculação e a inevitável expulsão da academia?

E com a minha decisão de não mais competir pela IFBB, mais a filiação à liga internacional de Fisiculturismo Natural INBA (= SEM DROGAS) enquanto mantenho um estilo de vida em que só entram alimentos naturais e orgânicos, sem produtos processados/industrializados e, sobretudo, SEM SUPLEMENTOS?

COMENTE!


(*) Agradeço especialmente as mensagens enviadas por Kleber Nunes e por Gi, do blog Fit Lifestyle, que reproduzo a seguir: 

Magnifica a sua coragem. Parabéns!
Ir contra o "mainstream" nunca foi algo que tornou alguém campeão de popularidade. Mas não se sinta sozinha, nas sombras se escondem várias pessoas que não concordam com esse senso comum que domina a cena - em geral, e não só a cena fitness.
Arthur Jones, um antagonista do senso comum desde sempre - alguém muito controverso - disse algo mais ou menos assim... em toda parte se encontra gente burra em abundância, mas nunca em tanta abundância quanto entre os que se dizem fisiculturistas... 
E esse enfoque esclarece em parte e se alinha com o cenário que descreveste acima, do dogma e o preceito geral que norteia a cena fitness: o foco exagerado nos suplementos alimentares, e um certo ar blasé quanto ao peso que as drogas representam nos resultados gerais dos praticantes - que tratam a questão entre si como se o uso de drogas fosse uma pequena ajuda ao resultado geral, que de acordo com o ideário dos alienados do fitness recai pesadamente sobre a "enorme dedicação" à dieta, treino, descanso e SUPLEMENTAÇÃO; quando na verdade muitos sequer pisam na academia se porventura acabar o Jack3D, quem dirá treinar forte no Off do ciclo, se é que entram em Off do ciclo.
Mike Mentzer - perdoe a ênfase nos ícones do HIT, mas chegam a ser inevitáveis - em um de seus inúmeros textos, um onde denunciava a hipocrisia de seus colegas de esporte, que simplesmente negavam ou pelo menos se recusavam a admitir/falar sobre o assunto esteróides - e ao contrário atribuiam pesadamente seu sucesso ao uso de "suplementação alimentar" adequada - disse algo mais ou menos assim, de que ele não usava suplemento alimentar algum, mas que SIM, usava dos esteróides anabólicos para seus resultados expressivos, e que não era imoral usar esteróides anabólicos, mas mentir, sim, era imoral. Sem necessariamente colocar-me em concordância quanto ao uso de esteróides anabólicos, tenho que concordar com a enorme coragem que Mentzer demonstrou ao expressar tal impressão quando ele mesmo operava dentro da "máquina Weider/IFBB".
Haveria alguém no Pro-Bodybuilding atual digno de assumir o legado de iconoclastia que Mentzer carregava? Duvido...
Tudo leva a crer que o futuro repousa no Natural Bodybuilding, e que mesmo nas grandes federações, com o tempo, o Mens Fitness dominará a cena, tal como o Bikini Fitness suplantou as Hardcore Women Bodybuilders, só que mais lentamente.
Se quiser discutir a questão, me encontra em: https://www.facebook.com/rebelknunes
Felicidades! Continue saudável, forte e sábia!
Tenha bons treinos!
Kleber Nunes


Tenho pensado muito nisso por esses tempos, ainda mais depois de toda essa polemica com os wheys (que no fundo, já é uma velha discussão). 
O que eu acho pior mesmo são esses projetos "x" difundidos pelos canais de utube e instagrans da vida, onde parece de suma importancia o uso de suplementação. 
Vejo de perto o conflito que isso causa... 
Minha irmã de 16 anos botou na cabeça que precisa de whey e termogenico, como se fosse a solução para uma dieta que ela não consegue seguir.
Não sou contra, mas acho que deveria ficar bem claro que nenhum suplemento conseguirá superar comida de verdade. 
Tirando toda a polemica das drogas anabólicas, tenho certeza que esses gigantes não foram construídos com pozinhos.
Parabéns pela atitude, novamente ;)
Gi

---


Leia também:

CLAUDIA VILAÇA EXPULSA DA ACADEMIA DE GINÁSTICA

CAMPEONATO BRASILEIRO IFBB 2013 - FOTOS DA COMPETIÇÃO E FISICULTURISMO 100% NATURAL - INBA NATURAL BODYBUILDING

CEM POR CENTO NATURAL - (2) HIPERTROFIA: O SEGREDO DO SUCESSO



13 comentários:

  1. O preço das diferenças e conflito de interesses.
    Confio em você!!
    Lamento a separação com Andrea Carvalho.
    Mas creio que esses 6 meses foram produtivos para que você absorvesse muitas informações e conhecimento.
    Boa sorte!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também lamento a separação da minha querida amiga e professora Andréa Carvalho, quem sabe voltemos a trabalhar juntas no futuro, em outras bases.

      Mas a gente se fala com frequência, troca idéias e conta as novidades.

      Obrigada, Roberta!

      Excluir
  2. Mais um desafio vencido Cláudia!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Patrícia!

      Pronta para as próximas aventuras.

      Excluir
  3. Claudia, eu não tinha visto esse post!
    Tenho pensado muito nisso por esses tempos, ainda mais depois de toda essa polemica com os wheys (que no fundo, já é uma velha discussão).
    O que eu acho pior mesmo são esses projetos "x" difundidos pelos canais de utube e instagrans da vida, onde parece de suma importancia o uso de suplementação. Vejo de perto o conflito que isso causa... minha irmã de 16 anos botou na cabeça que precisa de whey e termogenico, como se fosse a solução para uma dieta que ela não consegue seguir.
    Não sou contra, mas acho que deveria ficar bem claro que nenhum suplemento conseguirá superar comida de verdade. Tirando toda a polemica das drogas anabólicas, tenho certeza que esses gigantes não foram construídos com pozinhos.

    Parabéns pela atitude, novamente ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomei a liberdade de destacar seu comentário no próprio post, Gi, já que você pensa exatamente como eu sobre este assunto e definiu perfeitamente o poder do marketing dos suplementos.

      Agradeço muito a sua participação!

      Excluir
  4. Parabéns Cláudia! E te apresento outro doido! No caso EU!!! rsrsrsr

    Abraços,

    Gabriel Ortiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você vai adorar conhecer outros doidos, naturais como nós, Gabriel.

      Somos muitos!

      Infelizmente, aqui no Brasil ainda não existe uma associação de fisiculturismo natural, com controle rigoroso de doping.

      Excluir
  5. Estou boquiaberta...sem palavras...loucura isso!!!!!
    Fico feliz por saber que vc foi em frente!!! És merecedora...uma inspiração!!!
    Desejo mto sucesso!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, segui em frente mesmo, Bianca!

      Na verdade, fui procurar a minha turma, minha praia natural.

      Beijo, obrigada pelo apoio.

      Excluir
  6. Cláudia sempre achei que o certo era fazer a musculação SEM SUPLEMENTOS, já que não há nada comprovado cientificamente que isso não vai fazer mal qdo a pessoa estiver mais velha (fígado, articulações, rins etc. Nossa estou me sentindo agora representada por alguém que malha SEM usar nada para ficar "grande", e sim apenas com a alimentação certa e treinos regrados.
    Quem te expulsou que se dane. A prova viva é o seu 2º lugar no seu primeiro campeonato natural!!!
    Parabéns! Tenho 4 filhos, 40 anos e malho desde os 15 anos. Não para competir, mas para ter saúde, para ter um corpo bonito.
    Mais uma vez, parabéns!!!! Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei encantada com as pessoas que conheci durante esses dois campeonatos nos EUA, Ana Lúcia.

      Gente cheia de energia e humor, com a pele linda, hospitaleiros, receberam-me com muito carinho.

      Eu não poderia estar mais feliz! A decisão de ir competir como atleta natural nos Estados Unidos foi uma das melhores que já tomei.

      Quanto aos suplementos, não é nem o caso de fazer mal (isso, é claro, considerando que o que se compra e ingere corresponde à descrição nos rótulos).

      OS SUPLEMENTOS NÃO FAZEM NADA, esta é a minha opinião.

      É tudo marketing para vender poções e pós milagrosos. Convencer as pessoas de que precisam dos suplementos para ter resultados é uma grande sacada, uma mina de ouro que sustenta o conceito de corpos perfeitos obtidos de forma rápida e "turbinada".

      Os consumidores de suplementos pagam caro por misturas misteriosas, acreditam nos discursos dos publicitários, ingerem altas doses de adoçantes e corantes artificiais, além de drogas nas fórmulas termogênicas e pré-treinos: estimulantes como anfetamina e efedrina, substâncias que bagunçam o metabolismo e o sistema hormonal, etc.

      O pior é substituir a comida de verdade por todo este lixo e acreditar que se trata de uma opção saudável.

      Excluir
    2. E fora que são carosssss!!!
      Eu ainda prefiro a comida "normal" do que suplementos, não que nunca irei comer uma barrinha de proteína, pq acho gostosa, (a da Probar), lembra chocolate, mas não pq necessite.
      Depois da experiência que tive com a Dieta Atkins vi que a comida ingerida é tudo! Sequei e me senti ótima e com disposição, só que é o que digo, tem que ter foco, pq o que mais tem é tentação no caminho. Sempre tem alguém pra falar: ahh mas só um pedacinho não vai fazer mal né...
      Hehehehe, não é bem assim, rsrsrsrsrs. Bjos

      Excluir

Obrigada pela participação! Em breve, seu comentário será publicado e respondido por mim neste post. Mesmo que demore um pouquinho, eu respondo a todos os comentários. Volte mais tarde para conferir a resposta e continuar a nossa conversa, ok?

IMPORTANTE: Não sou nutricionista nem profissional de Educação Física. Não prescrevo dietas nem treinos. Não presto consultorias por meio deste blog, de redes sociais nem de mensagens privadas. Os registros deste blog resultam da minha experiência pessoal e do aprendizado por conta própria.

Para prescrição de dietas, cálculos de calorias e de nutrientes de acordo com as suas necessidades e metas, alimentação aplicável em casos de doenças, intolerâncias e alergias, procure um nutricionista ou médico especializado. Idem para treinos e condições específicas, que devem ser orientados por um profissional de Educação Física.